Aplicação aérea reduz custos de produção de grãos e pode aumentar a produtividade

Serviço oferecido na Rede AgroServices permite maior agilidade e qualidade na pulverização

A pulverização é uma etapa essencial no manejo das lavouras, já que a utilização de defensivos permite combater pragas e doenças que ameaçam as plantações. A aplicação de produtos eficientes, de forma correta e no momento mais adequado fazem a diferença nos resultados da fazenda. Por isso, é importante que o produtor busque tecnologias eficazes e colaboradores qualificados para realizar o procedimento.

O produtor Michel Berté encontrou na Rede AgroServices uma solução para melhorar o manejo da lavoura de milho. Por meio do resgate de pontos na Rede AgroServices, ele contratou o serviço Aplicação Aérea, oferecido pelo parceiro Aerotex Aviação Agrícola (confira ofertas aqui) na safrinha 2016/2017. O resultado agradou tanto que Berté repetiu a dose e resgatou novamente o mesmo serviço durante a segunda safra de milho 2017/2018 (quer saber mais sobre o programa de pontos? Clique aqui).

Na safra mais recente, o serviço cobriu os 1.600 hectares cultivados com milho na Fazenda Santa Bárbara, localizada no município de Paraúna (GO). Foram realizadas uma aplicação de inseticida e uma de fungicida, nos meses de março e abril de 2018. “A minha motivação foi aproveitar os pontos na Rede AgroServices e otimizar recursos na fazenda. O resultado superou as minhas expectativas”, conta Berté. “A Aplicação Aérea é ótima, eu recomendo para todo mundo.”

De acordo com o produtor, o atendimento foi rápido, organizado e confiável. “Não tive nenhuma dificuldade na prestação do serviço. O atendimento é muito bom, eles passam muita confiança para a gente desde o começo. São organizados e gostei do levantamento técnico feito por agrônomos antes da aplicação”, conta. O agricultor também ficou satisfeito com o suporte especializado. “Tem produto que não se pode aplicar com avião, eu recebi orientação técnica sobre todos os detalhes. Gostei do atendimento e da qualidade da aplicação. Os prestadores do serviço são muito parceiros.”

 

Melhores resultados na fazenda

Berté possui dois pulverizadores na fazenda e realiza a aplicação terrestre de defensivos. Na primeira safra, ele costuma cultivar cerca de 4.500 hectares com soja e o maquinário próprio da fazenda supre todas as demandas de pulverização. No entanto, o milho safrinha tem uma janela de cultivo mais limitada e as questões climáticas costumam interferir no planejamento da safra. Por isso, Berté enxerga a aplicação aérea como uma solução importante para driblar atrasos causados por chuvas, por exemplo. “Não podemos perder o timing de pulverização. O avião é muito mais rápido. A vantagem é termos uma agilidade maior e mais eficiência na aplicação”, afirma o produtor.

 

Redução do amassamento

A aplicação terrestre, com a passagem dos pneus dos pulverizadores, gera compactação de solo e amassamento de plantas. Outra vantagem da aplicação aérea é que, com o avião, esses problemas não ocorrem e Berté já notou diferenças na colheita. “Com a aplicação aérea e a redução do amassamento, eu estou calculando um aumento de produtividade do milho de pelo menos 5%”, conta o produtor.

 

Otimização de recursos

A Aerotex Aviação Agrícola cuidou das aplicações e o agricultor conseguiu otimizar as operações no campo. “Na época da aplicação, eu fiquei despreocupado e pude me dedicar a outros serviços na fazenda”, diz. Berté conta que reorganizou o uso de maquinário e as tarefas dos seis funcionários que trabalham na Fazenda Santa Bárbara. “Deixei os funcionários da fazenda fazerem outras atividades. Houve mais economia porque eu não estava usando o meu maquinário e gastando com óleo diesel.”

 

Redução de custos

Já que o agricultor utilizou pontos acumulados na Rede AgroServices, a Aerotex Aviação Agrícola recebeu o pagamento pelo serviço através da Bayer e Michel Berté ficou bastante satisfeito com a economia no processo. “Deixei de gastar cerca de R$ 70 mil com a aplicação aérea. Muita gente sabe que tem pontos e não usa. Eu vejo os meus pontos [na Rede AgroServices] como um dinheiro agregado, o fundamento para mim é a economia”, diz o produtor. “Pretendo continuar resgatando a aplicação aérea com certeza.”

Michel Berté faz parte da Rede AgroServices desde 2016 e já se beneficiou de outros serviços disponíveis na plataforma. “Eu fico muito ligado no saldo de pontos, acompanho sempre. De um ano para o outro a gente acumula muitos pontos e os resgates são recorrentes”, conta o produtor. Ele já resgatou serviço de consultoria em Agricultura de Precisão (confira ofertas aqui) e, atualmente, está sendo atendido pela União dos Agrônomos Independentes (UAI), um projeto coordenado pela Bayer em parceria com o Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb) que oferece assistência técnica para produtores de grãos em várias regiões do Brasil (saiba mais no link aqui).

 

Como a aplicação aérea funciona?

O serviço de Aplicação Aérea oferecido na Rede Agroservices é realizado por empresas parceiras com Certificação Aeroagrícola Sustentável (CAS). São utilizadas aeronaves agrícolas especialmente projetadas e construídas para as operações no campo, adequadas para aplicar produtos como herbicidas, inseticidas, fungicidas, inibidores de florescimento, maturadores, fertilizantes foliares e até mesmo sementes forrageiras para a Integração Lavoura-Pecuária.

De acordo Tiago Textor, gestor de segurança operacional da Aerotex Aviação Agrícola, o requisito para ser atendido é ter uma área superior a 50 hectares e uma pista na fazenda. “O avião só precisa de uma pista em condições para decolar. Uma pista de pouso é uma área em formato de retângulo que pode ser até de terra ou cascalho, mas precisa ser uma área plana sem irregularidades, com no mínimo 900 metros de comprimento por 22 metros de largura”, explica o gestor.

 

Análise de área

Após o resgate do serviço na Rede AgroServices, o produtor deve apresentar um mapa da área e o produto que deseja aplicar. Com isso, a Aerotex avalia a área levando em consideração dados como relevo e vegetação, faz a análise de riscos e verifica documentações. “Seguimos os critérios de segurança definidos pelo Ministério da Agricultura. Existe uma lista de produtos que não têm liberação para a via aérea, então também fazemos essa consulta. Informamos o produtor sobre as margens de segurança, definimos o perímetro de aplicação”, diz Textor.

De acordo com Tiago Textor, a aplicação é realizada por piloto experiente e acompanhada por um técnico agrícola responsável pelo preparo da calda e um técnico de operações. Para garantir a qualidade do procedimento, a equipe que vai a campo observa parâmetros climáticos, como temperatura e umidade. “Para termos as melhores condições de aplicação, monitoramos todos os dados e nos responsabilizamos pelo acompanhamento e a avaliação. A condição meteorológica é muito imprevisível, mas normalmente conseguirmos realizar a aplicação em no máximo dois dias”, explica o gestor.

A Aetotex Aviação Agrícola conta com uma equipe de cerca de 30 pessoas, entre pilotos, técnicos agrícolas e de manutenção. A empresa possui atualmente uma frota com oito aeronaves e atua há 22 anos nas regiões Sul e Sudoeste de Goiás.

 

Quer sugerir um tema para reportagem na Rede AgroServices? Envie a sua sugestão para o e-mail redeagroservices@bayer.com.

COPYRIGHT © BAYER S.A - Última atualização: 13/12/2012 (1.0.2387)